Revista ProCampo - Uma Leitura Produtiva

 

 
de 2017.   51ª Edição (Agosto/Setembro)  
Publicidade

Anuncie Aqui!

Entrevistas

 

28.05.2012 - 10:09

Banestes: um parceiro confiável

Dono de um curriculum respeitado, o Bacharéu em Direito Bruno Negris recebeu, em janeiro do ano passado, a missão de presidir o Banco do Estado do Espírito Santo – Banestes, instituição que é líder no Estado em aplicações com recursos do Funcafé para custeio e está presente em todos os 78 municípios capixabas.  Esse capixaba de São Mateus foi, na carreira pública, secretário de Estado da Fazenda e, como tal, presidente do Conselho de Administração do Banestes. Bruno Negris também foi subsecretário de Estado da Receita e subsecretário de Estado de Desenvolvimento. Na sua formação, também fez cursos de pós-graduação em Direito Civil, Processual Civil e Direito Tributário.
Para falar sobre o momento e as metas do banco - que é o maior aplicador de poupança do Espírito Santo - o presidente é enfático: “Os recursos do Banestes são aplicados com nossos clientes, principalmente dentro de nosso Estado, gerando demandas de emprego e renda”, concluiu. Leia a entrevista a seguir.


ProCampo - Qual a atual situação do Banestes no Espírito Santo?
Bruno Negris - O Banestes tem uma forte presença regional no Espírito Santo. São 133 agências, nas 78 cidades capixabas, além de termos unidades em alguns distritos. A rede alternativa de atendimento do Banco já atinge mais de 800 pontos. Para facilitar ainda mais a vida financeira do cliente, o Banestes está com 27 mil estabelecimentos credenciados para o uso do Banescard - cartão com bandeira própria do Banco, que vem se tornando referência nacional. Atualmente, o Banco tem quase 900 mil clientes, entre pessoa física e jurídica. No caso de empresários e microempreendedores, estes agora tem mais opções para operar com o Banestes. É por meio das quatro agências empresariais, criadas exclusivamente para atender suas demandas. Elas ficam em Campo Grande, Cariacica, no Civit, Serra, na Orla de Camburi, em Vitória, e em São Paulo.

ProCampo - O que representa o Banestes para a economia capixaba?
Bruno Negris - O Banestes é um dos grandes responsáveis por promover o progresso na economia capixaba, e já detém 23% do total da carteira de crédito disponível no Espírito Santo. Por possuir excelentes linhas de crédito, para  pessoa física e jurídica, o Banco coleciona uma série de títulos no mercado: eleita a primeira instituição financeira no Estado em faturamento global, em 2010; ocupou o 1º lugar no ranking das operações de crédito consignado (voltado para o setor público e privado); e é o maior aplicador de depósito de poupança no Espírito Santo - alcançando mais de R$ 6 bilhões, entre depósitos à vista e a prazo, no ano passado. Isto tudo mostra a confiança dos capixabas em guardar suas economias  no Banestes.

ProCampo - Com quanto o agronegócio capixaba participa na carteira de crédito do Banestes?
Bruno Negris - O saldo das aplicações rurais do Banestes, em 30 de março último, foi de R$ 360 milhões. Comparado com o mesmo trimestre de 2011, que foi de R$ 338,00 milhões, houve um expressivo incremento de R$ 22 milhões. Dos R$ 360 milhões, R$ 233 milhões aplicados são originários do Banestes, e o restante distribuídos em R$ 100 milhões com o Funcafé e R$ 27 milhões aplicados em recursos livres (ou seja, do próprio Banestes).

ProCampo - Quanto foi aplicado, ou ainda, qual o montante de recursos aplicados pelo Banestes no agronegócio em 2012? E onde o banco aplica mais?
Bruno Negris - Encontram-se aplicados R$ 360 milhões, e a expectativa do Banestes é de chegar a R$ 400 milhões, até o final deste ano. Os recursos são aplicados, principalmente, em cafeicultura, pecuária  e fruticultura.

ProCampo - Existe crédito rural disponível? Em quais linhas?
Bruno Negris -  Existe. Com taxas de juros variando de 6,25 a 6,75%, ao ano. O Banco aplica 75% de seu crédito em operações de investimento, com prazo de reembolso de 60 meses, e até 24 meses de carência para pagar formação de lavouras permanentes, aquisição de máquinas e equipamentos, construção e reforma de benfeitorias. E 25% são investidos em custeio com prazos de até 24 meses, voltado para colheita e tratos das lavouras, aquisição de adubos e insumos diversos, plantio de lavouras temporárias, etc.


ProCampo - Como são investidos os recursos do crédito rural?
Bruno Negris -  Na Região Norte do Estado estão aplicados 55% dos recursos, distribuídos em investimentos na cafeicultura, pecuária de corte, coco, maracujá, etc.  A Região Sul detém 30% das aplicações, destinadas à pecuária de leite e café arábica, etc. E a Região Central concentra 15%, voltados à avicultura para engorda e abate, além de produção de ovos e de hortifrutigranjeiros, com destaque para o inhame (tipo exportação) e o gengibre. Ainda na Região Central também é expressivo o investimento voltado à produção de flores.

ProCampo - Recentemente, o Banco destinou R$ 40 milhões para cafeicultores de São Gabriel da Palha. Qual o objetivo?
Bruno Negris -  Foi para financiar a colheita do café junto aos produtores cafeicultores. Já emprestamos R$ 20 milhões. O Banestes tem dinheiro disponível, nesta linha de crédito, para todos os produtores do Espírito Santo até o final de julho, quando terá início nova safra de café. Este dinheiro é para colheita, compreendendo todas as fases, desde o transporte até  armazenagem, visando a qualidade do produto colhido.

ProCampo - Quanto aos recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), quanto o Banestes aplica no mercado?
Bruno Negris -  O Pronaf é para atender o pequeno produtor rural. No momento estamos com aplicação em torno de R$ 15 milhões com nossos recursos.  Esperamos incrementar as aplicações no Pronaf, com os recursos Banestes, a partir de Jan/2013.

ProCampo - Os recursos do crédito rural também são aplicados em habitação?
Bruno Negris -  Sim. Já foram em torno de R$ 1 milhão para construção e reforma de casas para colonos, para meeiros e para casas-sede.

ProCampo - Quanto será destinado para a safra de 2012/2013?
Bruno Negris -  Serão mais R$ 280 milhões, até o final de 2012. Já pedimos mais R$ 150 milhões, ao Governo Federal, por meio do Funcafé. O Banestes é o primeiro no Espírito Santo em aplicações com recursos do Funcafé para custeio. E planejamos continuar nesta trajetória, para continuarmos sendo um dos grandes responsáveis em promover o progresso do agronegócio capixaba. Vale destacar que os recursos Banestes são aplicados com nossos clientes, principalmente dentro do nosso Estado, gerando demandas de emprego e renda.

Entrevista publicada na 37ª edição da revista ProCampo (Abr/Mai 2012).


Edições Anteriores

23.09.2014 - Desconhecimento e descaso

08.07.2014 - Selita com novo presidente

13.05.2014 - "Com o resfriamento do Oceano Pacífico, deve haver uma redução de chuvas no Sudeste e Sul do país"

18.03.2014 - A pujança do agronegócio capixaba

08.01.2014 - Em defesa da cacauicultura


 voltar  |  topo  |  home

Publicidade

 

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

 

Parceiros

 
  • Cedagro
  • Defagro
  • Midas
  • Cooabriel
  • Incaper
  • Seea
  • Senar
  • CCA-Ufes

Revista ProCampo - A Revista do Agronegócio Capixaba

Endereço: Rua Vinte e Dois de Abril, 09 - B.N.H. - Linhares/ES - 29902-180

Telefone: (27) 3373-3424 // 9984-5808

Email: procampo@revistaprocampo.com.br

"Criando sua empresa na internet"