Revista ProCampo - Uma Leitura Produtiva

 

 
de 2017.   51ª Edição (Agosto/Setembro)  
Publicidade

Anuncie Aqui!

Notícias

 

05.01.2011 - 12:21

Arte com eficiência

Em São Roque do Canaã, na região central serrana capixaba, o tonel e a cachaça artesanal fascinam visitantes e atrai consumidores

Em 1991, a vida de Ângelo Afonso Locatelli mudou, como ele mesmo costuma dizer, da água para o vinho (e para cachaça).

Filho de produtor de cachaça, esse sãoroquense, descendente de italianos, conhecido pela produção artesanal de tonéis de madeira para armazenar cachaça e vinho, então com 25 anos, reformou um tonel de 55 mil litros feito de jequitibá rosa, em Jacupemba, no município de Aracruz/ES.

O que no início significava apenas uma saída para resolver uma situação emergencial virou negócio. Afonso tomou gosto pela atividade e se tornou o único no Espírito Santo na fabricação e reforma de tonéis. Um verdadeiro tanoeiro. Tanoeiro, conforme Michaelis (Dicionário da Língua Portuguesa): O que faz ou conserta vasilhas – barris, dornas, pipas, tinas, etc.

A partir daí não parei mais” diz Afonso, que divide o Sítio Locatelli de sua propriedade, na Rodovia ES 080 – Km 02, São Bento em São Roque do Canaã, na região central serrana capixaba a 115 km de Vitória, entre sua residência, o barracão onde produz e reforma os tonéis, uma lavoura irrigada de café conilon e o alambique da famosa cachaça “Suprema”.

Afonso faz tonéis de dois a cinquenta mil litros. “Acima de 500 litros, só por encomenda”, afirma.

A possibilidade de aumentar a renda utilizando com eficiência toda a área da propriedade é exemplo de como gerenciar de forma inteligente uma pequena propriedade rural, explorando ao máximo o que ela tem a oferecer.

Visando ampliar ainda mais as oportunidades de negócios, Afonso criou uma pequena infra-estrutura de agroturismo (turismo no espaço rural) e demonstra muita paciência e educação quando perguntado sobre sua vida, sempre ao lado (e ajudado) de sua esposa Aninha e dos filhos Larida e Octávio. Aliás, fiquei muito impressionado com a franqueza de trato dos Locatelli.

O agroturismo significou a continuidade de todos os planos traçados para o sítio.
Afonso conta que, aos clientes apreciadores da cachaça e/ou compradores dos tonéis, é dada a oportunidade de se conhecer como se fabrica uma bebida de qualidade.

Comercialização

Os tonéis são comercializados para vários locais, dentro e fora do Estado. Sua habilidade em fazer tonéis é tanta que um dos mais ilustres compradores dos Tonéis Locatelli é o vice-presidente da República, José Alencar.
Afonso revela que 70% da produção dos seus tonéis são de madeira neutra – jequitibá rosa, cedrinho serrano, por exemplo – madeiras que não interferem no sabor da cachaça.

“Trabalho com várias variedades de madeira, entre elas a imburama (cerejeira), cabreúva vermelha, louro canela, cedrinho serrano, catuaba, pequi amarelo – 100% delas são procedentes do norte do país (Pará e Rondônia, principalmente)”, diz.

No entanto, prossegue Afonso, nem tudo são flores, o setor enfrenta dificuldades em obter madeira específica como amendoim e peroba amarela.

Em São Roque do Canaã, espaço para crescer não falta. O município é um dos principais pólos de produção de cachaça no Estado. Ali, dezenas de produtores rurais aderiram à fabricação de cachaça artesanal nos últimos anos.

“A Suprema é fabricada de forma totalmente artesanal, sem aditivos químicos e agentes aceleradores de fermentação”, conta Afonso.
A grande maioria da produção é vendida no Sítio Locatelli. “Meus clientes além de apreciar a cachaça, ainda conhecem como se fabrica uma bebida diferenciada”, relata orgulhoso.

Conforme Geraldo Anselmo Moschen, secretário de Desenvolvimento Econômico, o município que é basicamente agrícola, destaca-se no cultivo de café conilon (4.000 hectares), café arábica (950 hectares), cana-de-açúcar (500 hectares), tomate, banana e goiaba.
A cana-de açúcar é destinada à produção de cachaça em 14 alambiques. “Tem destaque também na economia, as ceramistas (telhas, lajotas, cobogó, lajotão) e esquadrias de madeira”, finaliza.

Matéria publicada na 29ª edição (Dez/Jan 2011) da revista ProCampo
Por Antonio de Pádua Motta
Editor revista ProCampo
apmotta@revistaprocampo.com.br


Edições Anteriores

23.09.2014 - 12 de outubro. Dia do Engenheiro Agrônomo

23.09.2014 - O mosaico do mamoeiro e o mamão de quintal

23.09.2014 - Parasitos: Importantes vilões da produção pecuária

23.09.2014 - Três cultivares de café conilon são protegidas pelo Incaper

23.09.2014 - A certificação fairtrade no café


 voltar  |  topo  |  home

Publicidade

 

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

 

Parceiros

 
  • Cedagro
  • Defagro
  • Midas
  • Cooabriel
  • Incaper
  • Seea
  • Senar
  • CCA-Ufes

Revista ProCampo - A Revista do Agronegócio Capixaba

Endereço: Rua Vinte e Dois de Abril, 09 - B.N.H. - Linhares/ES - 29902-180

Telefone: (27) 3373-3424 // 9984-5808

Email: procampo@revistaprocampo.com.br

"Criando sua empresa na internet"