Revista ProCampo - Uma Leitura Produtiva

 

 
de
Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/index.php on line 280
2018.
  51ª Edição (Agosto/Setembro)  
Publicidade


Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/exibir.php on line 9
Anuncie Aqui!

Notícias

 

04.07.2011 - 10:05

O mamão no mundo, no Brasil e na Ceagesp: rápidas mudanças

Os dados coletados pela FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) em 2008, último ano com dados completos, mostram que o mundo produziu mais de 10 milhões de toneladas de mamão. O Brasil detém a segunda colocação, colheu 1,9 milhões de toneladas, ou 18,71 por cento da produção mundial (Tabela 1). O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) registrou que em 2009 nossa produção foi de 1,79 milhões de toneladas de mamão, com amplo domínio da Bahia e do Espírito Santo na que colheram respectivamente 891 mil toneladas (49,72%) e 550 mil toneladas (30,68%) (Tabela 2). Na verdade há uma grande faixa continua produtora de mamão próxima aos litorais capixaba e baiano que vai das cercanias de Linhares no Espírito Santo até Porto Seguro na Bahia. Neste mesmo ano (2009) o Brasil exportou 27,55 mil toneladas de mamão o que corresponde a 1,47 da produção nacional (Aliceweb, 2011). Para comparação dos dados da FAO com o IBGE, o instituto brasileiro computa a produção de 2008 como 18,9 milhões de toneladas, dado bastante próximo ao da FAO. A FAO e o IBGE não contabilizam separadamente as áreas e produções dos mamões do grupo ”Solo” e do grupo “Formosa”.

A comercialização dos mamões no Entreposto Terminal de São Paulo (ETSP) da Companhia de Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) é um interessante retrato da comercialização brasileira. Todas as notas fiscais recolhidas nas portarias do ETSP se tornam a fonte de dados do SIEM (Sistema de Informação e Estatística) da SEDES (Seção de Economia e Desenvolvimento), que registrou em 2010 no ETSP  a comercialização de 63,7 mil toneladas de mamão do grupo “Formosa”  e de 85,55 mil toneladas do grupo “Solo”, conhecido popularmente como “Havaí”, “Havaiano” ou “Papaia” .

Em 2009 foram 90,65 mil toneladas de “Solo” e 50,89 mil toneladas de “Formosa”, confrontando com os dados do IBGE estima-se que o ETSP comercialize aproximadamente oito por cento da produção brasileira de mamão, participação relativa que vem caindo um pouco ao longo dos últimos anos. O que se verifica no entreposto é certa estabilidade no volume do grupo “Solo” e um crescimento do “Formosa”. Desde 2007, primeiro ano de funcionamento do SIEM, o volume comercializado do grupo “Solo” sempre ficou muito próxima a 90 mil toneladas e o do “Formosa” passou de 52 mil toneladas em 2007 para quase 64 mil em 2010.  De acordo com o ranking 2009 da Ceagesp o mamão é o segundo produto em volume de comercialização, perdendo apenas para a laranja e o quarto em volume financeiro, movimentando 174 milhões de reais no ano retrasado.

Para o “Solo” a Bahia é a grande fornecedora para o ETSP com 75 por cento do volume total em 2010, o Espírito Santo vem logo a seguir com 24 por centro e o restante distribuído entre vários estados. Uma característica marcante da comercialização no ETSP é a grande preferência pelo 'Sunrise' e suas variações em detrimento do 'Golden'. Apesar do 'Golden' ter uma melhor resistência pós-colheita e uma menor ocorrência de manchas fisiológicas o sabor do 'Sunrise' é muito superior e grande parte dos varejistas paulistanos, como feirantes, hortifrútis e ambulantes possuem contato muito próximo ao consumidor e constatam que estes acabam rejeitando o 'Golden' pela maior dureza e menor conteúdo de açúcar da polpa.

No “Formosa” há uma inversão, o Espírito Santo é o principal foi o principal abastecedor 28,82 mil toneladas ou 45,63 por cento do total e a Bahia participou com 23,28 toneladas ou 36,85 por cento. Os envios capixabas saem quase todos da região dos municípios de Pinheiros, São Mateus e Montanha. É no “Formosa” que se nota uma rápida mudança do modelo de comercialização de mamão.  Em 2010, cento e dezessete municípios enviaram mamões “Formosa” ao ETSP, mas os dez maiores são responsáveis por dez por cento do total. Na Tabela 3 se observa um grande crescimento dos municípios do Oeste Baiano, de Baraúna no Rio Grande do Norte, de Jaíba no Norte Mineiro e uma decadência muito grande de Montanha (ES). Os produtores destes municípios emergentes trabalham de maneira totalmente distinta da grande maioria dos produtores capixabas.

Enquanto a maior parte das cargas do Espírito Santo vem com os frutos a granel na carroceria dos caminhões os produtores das áreas que estão emergindo colhem frutos mais maduros, classificam e embalam na origem, muitos em caixas de papelão ondulado bastantes atrativas, com rede de poliuretano protegendo os frutos que também são etiquetados com a marca do produtor. É sabido que o fruto do mamoeiro só acumula açúcar enquanto ligado à planta mãe, o arcaico sistema de transporte a granel exige a colheita de frutos colhidos ainda verdes e firmes e que, portanto ainda acumularam uma menor quantidade de açúcar. Já os frutos colhidos mais maduros, já começando a mudar a coloração, são muito mais saborosos e como possuem marca, os varejistas e consumidores os identificam como produtos superiores e com o tempo concluem que vale muito mais a pena levar um produto, que apesar de bem mais caro, é capaz de proporcionar muito mais satisfação. Em geral, os mamões embalados na origem conseguem um valor de venda entre cinquenta e cem por cento acima dos que chegam a granel e são embalados no entreposto. Esta é uma tendência geral para o mercado de frutas e hortaliças. E quem embala na origem vem ganhando terreno rapidamente.

Um caminhão de “Formosa” a granel demora mais de seis horas para ser descarregado, ocupando espaço no já tumultuado entreposto e se considera normais perdas ao redor de vinte por cento da carga. A descarga de “Formosa” é, sem dúvida, a maior geradora de lixo no ETSP e a paisagem ao redor da descarga a granel é deprimente.

No grupo “Solo”, como se demonstra na Tabela 4, o domínio é quase que total dos municípios baianos e capixabas da faixa litorânea do Norte do Espirito Santo e Extremo Sul da Bahia. Mas também, de pouco tempo para cá, vários produtores desta região e alguns também são atacadistas no ETSP, estão começando a trabalhar com embalagens de papelão ondulado do mesmo modo que os produtores de “Formosa” do Oeste Baiano e do Rio Grande do Norte.

 

 

 

Artigo publicado na 32ª edição (Jun/Jul 2011) da revista ProCampo
por Gabriel Vicente Bitencourt de Almeida
Engenheiro Agrônomo M. Sc. do Centro de Qualidade em Horticultura (SECQH) da Ceagesp
galmeida@ceagesp.gov.br


Edições Anteriores

23.09.2014 - 12 de outubro. Dia do Engenheiro Agrônomo

23.09.2014 - O mosaico do mamoeiro e o mamão de quintal

23.09.2014 - Parasitos: Importantes vilões da produção pecuária

23.09.2014 - Três cultivares de café conilon são protegidas pelo Incaper

23.09.2014 - A certificação fairtrade no café


 voltar  |  topo  |  home

Publicidade

 


Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/exibir.php on line 9
Anuncie Aqui!


Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/exibir.php on line 9
Anuncie Aqui!


Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/exibir.php on line 9
Anuncie Aqui!


Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/exibir.php on line 9
Anuncie Aqui!

 

Parceiros

 

    Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/storage/f/f6/ff/revistaprocampo/public_html/estrutura/banners/parceiros.php on line 9
  • Midas
  • Cooabriel
  • Incaper
  • Seea
  • Senar
  • CCA-Ufes
  • Cedagro
  • Defagro

Revista ProCampo - A Revista do Agronegócio Capixaba

Endereço: Rua Vinte e Dois de Abril, 09 - B.N.H. - Linhares/ES - 29902-180

Telefone: (27) 3373-3424 // 9984-5808

Email: procampo@revistaprocampo.com.br

"Criando sua empresa na internet"