Revista ProCampo - Uma Leitura Produtiva

 

 
de 2017.   51ª Edição (Agosto/Setembro)  
Publicidade

Anuncie Aqui!

Notícias

 

18.03.2013 - 11:15

O clima não está para os raios

Nessa época do ano, a incidência de tempestades com raios, tanto em áreas urbanas quanto rurais, são bem
maiores quando comparadas as outras estações

Em outubro, um raio atingiu um sítio onde era realizado um festival de música em São Tomé das Letras, no sul de Minas Gerais, e um jovem universitário de 23 anos morreu atingido pela descarga elétrica.
Foi o americano Benjamin Franklin o primeiro cientista a demonstrar que o relâmpago é uma descarga elétrica que ocorre devido ao acúmulo de cargas em regiões localizadas na atmosfera, na maioria das vezes dentro das nuvens. É dele também a invenção do dispositivo que protege contra os raios, o pára-raios.
De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica – ELAT, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, a cada 50 mortes por raios no mundo, uma é no Brasil, o país campeão mundial em incidências do fenômeno. São 130 mortes, mais de 200 feridos por ano e prejuízos anuais da ordem de um bilhão de reais no país. Ainda no Brasil, é nas regiões Sudeste e Sul onde ocorre a maior quantidade, no período de dezembro a março, que compreende o período das chuvas de verão. A maior parte das mortes por raios no Brasil acontece no meio rural. Isso também diz o ELAT.
No Espírito Santo, o município de Itarana, por exemplo, apresenta uma incidência de raios considerada média, com uma densidade em torno de 3,34 raios por km2 ao ano. Os municípios mais atingidos  do estado (Guaçui, Dores do Rio Preto, São José do Calçado) apresentam densidade próxima a 8 raios por km2 ao ano, o que neste caso é considerada alta, e os municípios de Pedro Canário, Montanha, Jaguaré, Pinheiros, apresentam uma densidade baixa, em torno de 2 raios por km2 por ano. O estudo do INPE foi realizado entre os anos de 1988 e 2011.

O que é um raio e o que fazer

Como se sabe, 80% das circunstâncias em que acontecem mortes por raios podem ser evitadas se as pessoas souberem como se proteger. Assim, é preciso saber o que fazer e o que evitar quando se escuta o barulho característico de um raio, o trovão!
Para isso, o ELAT criou e está disponibilizando (www.inpe.br/elat) uma Cartilha de Proteção contra Raios, elaborada de forma simples e didática.


Matéria publicada na 42ª edição (Fev/Mar 2013) da revista ProCampo
da redação
redacao@revistaprocampo.com.br


Edições Anteriores

23.09.2014 - 12 de outubro. Dia do Engenheiro Agrônomo

23.09.2014 - O mosaico do mamoeiro e o mamão de quintal

23.09.2014 - Parasitos: Importantes vilões da produção pecuária

23.09.2014 - Três cultivares de café conilon são protegidas pelo Incaper

23.09.2014 - A certificação fairtrade no café


 voltar  |  topo  |  home

Publicidade

 

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

Anuncie Aqui!

 

Parceiros

 
  • Cedagro
  • Defagro
  • Midas
  • Cooabriel
  • Incaper
  • Seea
  • Senar
  • CCA-Ufes

Revista ProCampo - A Revista do Agronegócio Capixaba

Endereço: Rua Vinte e Dois de Abril, 09 - B.N.H. - Linhares/ES - 29902-180

Telefone: (27) 3373-3424 // 9984-5808

Email: procampo@revistaprocampo.com.br

"Criando sua empresa na internet"